23 março 2013

Não me de conselhos, sei errar sozinho.

- Você é um bebê que quer desesperadamente voltar para o útero da sua mãe. Não pode ter amigos nem vínculos porque você é uma pessoa vazia e relações se trata de uma troca, o que você tem a oferecer? Nada. Você só sabe sugar, depende da aprovação dos outros, depende que outras pessoas te digam o que fazer, e exaltem seu amor. Dependente e sugadora. Não possui auto estima suficiente, só vazio, e precisa prejudicar e sugar das pessoas ao redor, e quando não existe mais ninguém você desmorona como um castelo de cartas. Se você se alimenta de algo e necessita disso para viver, quando acaba a comida o que pode acontecer? Cansaço, depressão, sono constante, pulos no tempo, até que não existe mais nada e fim. E você fará o que agora? Vai escolher definhar? Vai desistir de novo? Você pode se curar, mas não quer.

Essas foram as palavras da mulher sentada na sua frente, uma desconhecida que finge saber a solução. Mas em nada do que falou estava errado, e era por isso que as lagrimas da menina vertiam possessivamente pelo seu rosto. Odiava chorar, é como ficar nu e tranparente. É a prova irrefutável da fraqueza. E como se precisasse justificar seu comportamento, mais para si mesma do que para a desconhecida, falou entre soluços vergonhosos:

- Tudo isso que falou é verdade. Você acha que eu não sei disso? Não precisa repetir o que digo para mim todos os dias, o que martela minha cabeça, esmaga meus olhos e amassa meu corpo. E saber é o pior, porque significa que você sabe o problema mas não consegue resolve-lo, é como se você tivesse noção do que é olhando pelo lado de fora, mas nada faz. E isso me torna pior que os outros, porque eu sei. Eu sei.
Existem pessoas fracas no mundo, pessoas que não aguentam e nunca se curam. Definham por dentro. Eu sou uma delas. As pessoas não acreditam no que seus olhos não podem ver, e isso é totalmente invisível, esta dentro e não fora. E ninguém acredita, nem você as vezes. Pedem para eu levantar, erguer a cabeça, seguir um caminho, mas não entendem que o que eu sinto rouba o desejo. "O que você precisa é de força de vontade" repetem incansavelmente  mas como ter força de vontade se ela não existe em mim? É como querer que um avião sem asas voe, ou um carro sem combustível ande. Querem que eu saia e faça algo mas pense que seu corpo foi drogado e você se sente incrivelmente fraca, você simplesmente levantaria da cama e sairia na rua? Não. É assim que eu me sinto todos os dias. 

Ela queria dizer mais, mas silenciou, sua pequena força havia se esgotado, sentia-se como um pedaço de pano molhado que foi espremido tantas vezes que nada de água restou. Então foi a desconhecida que falou:

- Você pode conseguir, eu vou te ajudar. Não vou desistir de você.

- Não faça uma promessa que não possa cumprir. Sempre desistem.   

E a conversa que havia custado 250 reais acabou por ali.

*título do post por Salvador Dali



Um comentário:

  1. a talvez o maior erro foi ter te perdido no tempo. ;(

    ResponderExcluir